Projeto Força Amiga traz roda de conversa com nutricionista oncológica

Profissional explicou o papel da alimentação durante o tratamento e na prevenção

Compartilhe!

Curtir
Profissional explicou o papel da alimentação durante o tratamento e na prevenção
 
Como diz o ditado, “é melhor prevenir do que remediar”. Pensando nisso, o Fundo Social de Solidariedade de São Vicente (FSS-SV) convidou uma nutricionista para ajudar as participantes do grupo Força Amiga a entenderem como usar os alimentos a favor da prevenção ao câncer e para melhorar a qualidade de vida.
 
 O último encontro do projeto foi na sexta-feira (19), na sede do Fundo Social, no período da tarde. Uma roda de conversa foi organizada entre a nutricionista, Aline Barreiros, a presidente do FSS, Thaynã Carneiro e as participantes.
 
Antes do bate papo nutricional, todas puderam se apresentar e falar da experiência com o câncer. Depois de entender em que estágio estavam, a profissional pôde começar a explicar sobre os alimentos, como eles podem interferir e mudar de acordo com essa fase da doença que cada uma enfrentando. “Eu brinco que a nutrição me escolheu desde quando eu era pequena. Depois da experiência que tive com o câncer e meus avós, fiz uma promessa: eu vou ajudar todos que cruzarem o meu caminho, através do meu conhecimento, meus estudos. Quando eu escolhi oncologia foi por acreditar que os alimentos, além de impactarem na saúde e na qualidade de vida, podem também contribuir para a recuperação e devolverem esperança para as pessoas”, contou Aline. 
 
Força Amiga: O projeto surgiu com o intuito de escutar, apoiar e acolher mulheres que enfrentaram ou ainda enfrentam o câncer de mama. Outros encontros que aconteceram na sede do FSS trouxeram aulas de yoga, alongamento, apoio psicológico em grupo e bate papo entre as participantes, com atividades de comunicação. “É muito importante conversarmos sobre esse assunto. A nutrição adequada previne doenças e nos torna mais fortes e resistentes para enfrentar doenças. A nutricionista trouxe elementos básicos, pois temos a falsa ideia de que precisamos gastar mais do que o necessário para sermos saudáveis, quando na verdade precisamos apenas do que vem da terra, do que é natural”, afirmou Thaynã Carneiro, presidente do Fundo Social. 
 
Por Manoela Lopes