Rede Corporativa
Santos - São Paulo - Brasil, 12 de julho de 2024.
22/05/2024
NOTÍCIAS
"Esse lugar me dá vida": Pioneira no empreendedorismo e na luta LGBTQIAP se emociona e relembra desafios da carreira
Não tem como falar de empreendedorismo na Baixada Santista sem mencionar Cris Lorca. A dona do ‘Quiosque da Cris’ é a pioneira em acolher e dar suporte à comunidade LGBTQIAP . A empresária transformou seu quiosque na Praia do Itararé em referência da luta contra o preconceito, servindo deliciosas refeições praianas aos munícipes e turistas.
 
Tudo começou com um simples carrinho de pastéis, no final dos anos 1980. Com o tempo, foi formando um grupo de fregueses, na época, conhecido como “GLS” (Gays, Lésbicas e Simpatizantes). Foi quando notou que seu empreendimento podia ir além do ramo alimentício, capaz de proporcionar acolhimento a uma comunidade ainda muito marginalizada na década de 1990. “Essas pessoas viviam presas dentro de casa, com medo de sair na rua e sofrerem agressões ou ataques. Quando percebi esse público, decidi acolhê-los”. 
 
O início da luta foi concretizado quando a empresária fincou uma bandeira de arco-íris  que simboliza o movimento LGBTQIAP no seu estabelecimento. “A bandeira foi um presente muito especial de uma das minhas clientes. Junto com esse símbolo, veio uma responsabilidade muito grande”, relembra Cris. 
 
Hoje em dia, o local é muito bem aceito e respeitado pelos moradores da região, mas nem sempre foi dessa maneira. O Quiosque da Cris já foi alvo de preconceito e vandalismo. “Quem conhece de verdade meu trabalho, sabe que nunca promovi bagunça e muito menos promiscuidade. Hoje, os moradores aqui da Ilha Porchat estão entre meus melhores clientes”, orgulha-se a empresária.
 
A Cris não enfrentou só a intolerância: uma das suas principais batalhas foi contra o câncer. Encarou um grande desafio ao reconhecer que precisaria de acolhimento; afinal, ela quem sempre ofereceu o ombro amigo. “Foi uma época muito difícil. Instalei câmeras por todo o quiosque, monitorando o movimento à distância. Fiz de tudo para conduzir da melhor forma”. Sem nunca perder a fé, Cris fez o tratamento completo. “Eu sabia que eu ia voltar. Ter o apoio da minha equipe me ajudou a superar essa fase”, emocionou-se.
 
Seguindo seu legado, o Quiosque da Cris segue sendo um estabelecimento de sucesso e um ponto de acolhimento à comunidade LGBTQIAP . “Esse lugar me dá vida”. completa Cris Lorca. 
 
Por Maria Marmo

Atalhos da página

Rede Corporativa e-Solution Backsite