Rede Corporativa
Santos - São Paulo - Brasil, 24 de abril de 2024.
22/06/2021
NOTÍCIAS
#3 - Celeiro de craques: 'Crias do terrão' esbanjam categoria nos campos vicentinos
Município conta com nomes consagrados e promissores que sonham atingir patamares altos com o esporte
 
Dribles, genialidade e alegria. Três palavras que resumem bem as principais características da essência brasileira no futebol. Em São Vicente não é diferente. 
 
Dentro dos campos vicentinos, grandes nomes do futebol amador e profissional já puderam ‘desfilar’ com seus talentos em campo. O Município possui jogadores com inúmeras conquistas na várzea, além de momentos de protagonismo no futebol profissional. São muitas as histórias de jovens que sonham atingir patamares altos com a modalidade, inclusive disputar uma Copa do Mundo. 
 
Neizinho
Marco Aurélio dos Santos, popularmente conhecido como ‘Neizinho’, de 56 anos, é mais um nome do futebol amador vicentino. O atacante é uma verdadeira máquina de dribles e golaços, considerado por muitos como o maior jogador da história da várzea vicentina. Sua trajetória é repleta de lindos gols, grandes atuações e títulos. 


“Foi na várzea que conheci e aprendi muitas coisas boas, e também trouxe grande projeção à minha vida. Fiz diversos amigos no meio esportivo e jogo até hoje”, lembra. 
 
O craque também jogou futebol profissionalmente e, aos 28 anos, iniciou no Jabaquara. A trajetória de Neizinho foi longa, incluindo passagem internacional, quando ele esbanjou sua qualidade em Córdoba, na Espanha, jogando futsal por dois meses. De volta ao Brasil, Neizinho passou pela Portuguesa Santista e pelo São Vicente Atlético Clube.
 
Jogando pela equipe local, Neizinho, já veterano e junto de seus companheiros, levou o São Vicente até a Série A-3. O jogador também conquistou acesso em seus outros dois clubes profissionais (Jabaquara e Portuguesa Santista). O craque conta que sua carreira poderia ter sido ainda maior, caso não precisasse conciliar o futebol com trabalhos externos.  
 
“Tenho admiração por todos os times amadores. Pude ser campeão e feliz em quase todos que passei. É muito gratificante ser reconhecido, não só em São Vicente, mas em toda a Baixada. Tenho um respeito muito grande pelas torcidas, diretores e jogadores”, concluiu.

                                             


Carlos Alberto de Góis, o ‘Linho’
São diversos clubes vicentinos com histórias que demonstram o amor da Cidade pelo esporte. E nada seria possível sem a presença dos craques. Além de Neizinho, outro grande nome do futebol amador de São Vicente é Carlos Alberto de Góis, o ‘Linho’, de 67 anos. 
 
O meio-campista teve passagem por diversos times amadores e profissionais. “A primeira vez que eu joguei futebol em minha vida foi pelo Vila Margarida. Lá eu comecei com nove anos e tive meu primeiro treinador, João Careca, onde adquiri grande aprendizado e, logo após, fui selecionado para representar o mirim da equipe do Santos, chegando à categoria de base do Peixe”, relata. O atleta também jogou profissionalmente pela Portuguesa Santista. 



Em momento nostálgico, Linho conta que chegou a enfrentar Ramón Mifflin, atacante peruano que esteve presente na Copa do Mundo de 1970, vencida pelo Brasil. 
 
Agradecido por todas as oportunidades que o futebol lhe proporcionou, ele definiu em algumas palavras o que a modalidade representa em sua vida. “O futebol nos ensina valores. Mostra que quando atuamos unidos, a vitória fica mais próxima. Que quando temos disciplina, foco e persistência, não existe adversário que possa nos parar. Que a amizade, a simplicidade e o companheirismo são mais importantes do que a conta bancária”, concluiu. 

Pratas da casa
Vinicius Lemos, de 13 anos, é uma das jóias do C.T Revelando São Vicente, equipe júnior comandada por David Riesco e Edson Lopes. O talentoso garoto começou atuando na linha, mas sentia que poderia desenvolver melhor seu futebol jogando embaixo das traves. Ali se consagrou e começou a ‘fechar o gol’, sendo sucessivamente eleito melhor goleiro dos torneios que disputava. 
 
O jovem se inspira no goleiro do Liverpool e da Seleção Brasileira, Alisson. Para ele, o futebol é o grande sonho da sua vida, e mostra maturidade. “Para alcançar meu objetivo tenho que estudar e treinar com seriedade. Quando minha hora chegar, estarei preparado para voar”. 
 
Caick Yago, jovem de 19 anos, que atua no sub-20 do Red Bull Bragantino, é mais uma cria dos campos vicentinos. O volante começou sua trajetória, aos 5 anos, no futsal. O jovem conta que, desde a infância, mantém contato com o futebol varzeano, jogando pelo Revelando, mesmo já atuando pelas categorias de base dos clubes.
 
Com 10 anos, Caick ingressou na base do Santos, como menino da Vila, conquistando o título do Campeonato Paulista sub-11. Na ocasião, atuou ao lado de jovens que vestem atualmente a camisa do Peixe, como Sandry, Gabriel Pirani, Ivonei e Kaio Jorge. 
 
Caick também atuou pelo Jabaquara e Portuguesa Santista, onde assinou seu primeiro contrato profissional em 2019, aos 17 anos. “Foi minha maior alegria. Estávamos em uma fase fantástica e, assim, despertou interesse de outras equipes e fui contratado pelo Red Bull Bragantino, que é um clube com uma estrutura fantástica”, relata.
 
O jogador segue em contato com a várzea e, sempre que possível, bate uma bolinha nos campos vicentinos. “Graças à várzea eu adquiri fundamentos. Futebol não é só talento, é determinação. É abrir mão de algumas coisas visando um futuro. O futebol amador abre muitas portas e é determinante, também, na formação do caráter”, explica. 
 
Por fim, Caick confessa que se inspira no craque português Cristiano Ronaldo. Segundo ele, não só a qualidade do ‘robozão’ impressiona, mas principalmente a determinação. Porém, o jogador da Juventus, da Itália, não é seu único espelho. “Minha família é a principal inspiração, meu combustível para continuar lutando dia após dia. Meu maior sonho é disputar uma Copa do Mundo”, completou.

                                            
                                                                                                  Foto: Israel Oliveira

Por Guilherme Sibilio


Atalhos da página

Rede Corporativa e-Solution Backsite