Rede Corporativa
Santos - São Paulo - Brasil, 21 de junho de 2024.
02/09/2021
NOTÍCIAS
Mais de 10 mil toneladas de resíduos já foram removidas da Avenida Penedo
Há muito tempo sem ter os resíduos retirados, local começou a ganhar “cara nova” a partir de 24 de agosto
 
“Um dos nossos principais desafios no primeiro ano de Administração Municipal é limpar, literalmente, a bagunça deixada no governo”, comentou, na manhã desta quinta-feira (03), o prefeito Kayo Amado, durante visita na região conhecida como Penedo 900, no Catiapoã.
 
O local, que já foi alvo de diversas reportagens na imprensa, passa, desde o dia 24 de agosto, por um longo processo de limpeza, para a remoção dos resíduos acumulados durante muito tempo.
 
Os resíduos Urbanos (RU) e resíduos de construção civil (RCC) estão sendo removidos por uma empresa contratada, que também faz a correta destinação do material. Até o momento, mais de 10 mil toneladas foram retiradas.
 
Kayo Amado, ao assumir a Prefeitura, ressaltou que o espaço “estava completamente cheio de lixo, de resíduos”. 
 
Além de constantes reclamações por parte da população, o problema foi alvo do Ministério Público (MP), outras instituições.
 
“Pegamos o problema e hoje estamos resolvendo. O lixo está sendo retirado e será destinado para locais distanciados, de forma correta, para que não agrida o meio ambiente e nem o cidadão.

É esse o trabalho de organizar a casa, para que a gente possa ter, sim, uma Cidade melhor a cada dia”, afirmou o prefeito.

 
De acordo com a secretária do Meio Ambiente e Defesa Animal (Semam), Flávia Ramacciotti, o local em questão trata-se de uma área de secagem, onde a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedup) deposita o material proveniente dos canais, durante os trabalhos de desassoreamento, para posterior destinação. “Começamos um trabalho que envolve a área Penedo 900 e a região do Sambaiatuba, para fazer a retirada desses resíduos que estavam depositados de forma irregular há muito tempo. Precisávamos dar um destino para eles.”
 
A previsão é concluir esta primeira etapa dos trabalhos em até seis meses. No entanto, Flávia ressalta que “é um trabalho contínuo e que não pode ser interrompido”.
 
Haverá ainda a contratação de novos serviços continuados até que seja definida a correta destinação de forma permanente.
 
Além disso, como o material ficou muito tempo sem ser retirado, houve o descarte irregular de outros tipos de resíduos. “Há materiais que não podem ir para qualquer lugar, então tomamos o cuidado de analisar e fazer a correta destinação”, afirmou a secretária da Semam.
 
Texto por Carmen Doria
Fotos por Aline Silvério

Atalhos da página

Rede Corporativa e-Solution Backsite