Rede Corporativa
Santos - São Paulo - Brasil, 25 de junho de 2024.
21/09/2021
NOTÍCIAS
Projeto Musicoterapia será realizado com pacientes internados no Hospital Municipal
Ação terá início em 24 de setembro e, posteriormente, fará parte da rotina dos pacientes, tornando-se uma forte aliada na recuperação

“Há músicas que contém memórias de momentos vividos. Trazem-nos de volta um passado. Lembramo-nos de lugares, objetos, rostos, gestos e sentimentos”. O psicanalista Rubem Alves, em seu livro “Na Morada das Palavras”, descreve bem o poder que a música exerce na vida das pessoas. 
A musicoterapia, como o próprio nome diz, é uma forma de tratar os pacientes por intermédio da música. É uma técnica que trabalha com a saúde ao utilizar diversas formas de aprendizado, expressões e arte. 
 
Com isso, visando o bem estar dos pacientes que ficam sob os cuidados dos enfermeiros, e com objetivo de oferecer ainda mais recursos terapêuticos a quem está internado, o Hospital Municipal de São Vicente realizará, no dia 24 de setembro, das 10h30 às 11h30, o Projeto Musicoterapia. 

Nesse primeiro momento, será realizada a musicoterapia passiva, em que apenas músicas instrumentais serão tocadas. Posteriormente, será criada uma agenda semanal ou quinzenal, para que esta prática faça parte da rotina e se torne uma forte aliada às terapias tradicionais. 

Musicoterapia - Há músicas que nos remetem a doces lembranças, algumas inspiram, trazem saudosismo, alegria, melancolia e euforia. Tudo vai depender da melodia que é tocada. Nosso cérebro é uma caixinha de surpresas que, ao longo dos anos, é desvendada por especialistas e, a cada nova descoberta, atesta o incrível mundo das nossas células cerebrais. Há inúmeros centros musicais espalhados pelo cérebro, que analisam diferentes componentes da música, do tom à melodia.
 
A música não tem somente o poder de aliviar ansiedade, ela promove relaxamento e, consequentemente, a diminuição da pressão arterial, da frequência cardíaca, entre outros benefícios. Ela pode despertar emoções que, por sua vez, estimulam a produção de hormônios bons, como serotonina, endorfina, dopamina, ocitocina, que são chamados “hormônios da felicidade”. 

Estes hormônios promovem uma série de acontecimentos no organismo que são benéficos para o ser humano, especialmente em quem se encontra debilitado. As diminuições destes hormônios no organismo podem levar o indivíduo a quadros de tristeza, mau humor, irritabilidade, distúrbios psicológicos e até depressão.
A música tem o poder de estimular a produção destes hormônios, e proporcionar bem estar ao enfermo, que se encontra muitas vezes desesperançoso, triste, ansioso, devido à saúde fragilizada e ao contexto complexo de sua própria vida. 

Por Nicolas Pedrosa


Atalhos da página

Rede Corporativa e-Solution Backsite