Rede Corporativa
Santos - São Paulo - Brasil, 23 de fevereiro de 2024.
05/09/2022
NOTÍCIAS
No Dia Mundial da Alfabetização, rede municipal de São Vicente valoriza formação e foca no futuro

 

Com 15.826 crianças matriculadas entre o 1º e o 3º ano, a rede municipal de ensino de São Vicente celebra na quinta-feira (8) o Dia Mundial da Alfabetização de olho no futuro.
 
Primando por um ensino de qualidade, a Secretaria de Educação (Seduc) prioriza a formação profissional. Neste ano, cerca de 90 profissionais de  alfabetização e 37 coordenadores pedagógicos participam de encontros do Mathema e Porthema, ação formativa onde são apresentadas estratégias diferenciadas, tudo com foco na língua portuguesa e matemática. O curso conta com o incentivo e apoio da Diretoria Pedagógica  e começou em março e segue até 12 de setembro.
 
Além da formação externa, a Comissão de Alfabetização, constituída por assessores da Diretoria Pedagógica da Seduc, compartilha materiais focados na alfabetização, para serem trabalhados no ambiente escolar, durante a Hora de Trabalho Pedagógico Coletivo (HTPC).
 
As 37 unidades municipais com turmas nos anos iniciais também foram contempladas com materiais pedagógicos do Proalfa SV, próprios para atender o público que está começando a ler e escrever. Os kits incluem calendários de EVA, Varal de Alfabeto, Alfabeto Móvel, Material Dourado (utilizado como suporte na aprendizagem do sistema de numeração decimal posicional e de métodos para efetuar as operações fundamentais), Ábaco (ferramenta que  auxilia o estudante no desenvolvimento do pensamento matemático), entre outros. O resultado é o desenvolvimento da aprendizagem por meio dos espaços de convivência, de educação social e de aperfeiçoamento das capacidades cognitivas, oferecendo espaços motivadores de reconstrução, respeito mútuo, intercâmbio e trabalho cooperativo entre pares. 
 
Há 24 anos em sala de aula, Marisa Alves Gonçalves Nunes Pedroso (64) está há oito com turmas na fase de alfabetização. A professora da EMEIEF Maria de Lourdes Batista revela que possibilitar às crianças a capacidade da escrita e da leitura traz uma sensação maravilhosa para ela. “Fiz recentemente uma dinâmica em sala e dois alunos leram um texto. É uma emoção enorme vê-los conseguindo, descobrindo as palavras”. 
 
EXPERIÊNCIA - Professora com 25 anos de experiência, Giovanna Strafacci Gomes (46), trabalha há mais de uma década na Rede Municipal. Atualmente, ministra aulas na EMEF Renan Alves Leite (Catiapoã) e deu um depoimento sobre o que é ser professora alfabetizadora.
 
Paixão - “Sou apaixonada pela Alfabetização. Fiz pós-graduação em Alfabetização e Letramento e também já participei de um programa de formação de professores alfabetizadores (PROFA). Ser professora alfabetizadora é lidar com avanços e mudanças diariamente, porque a cada dia as crianças se transformam e se apropriam da leitura e da escrita lindamente. Posso dizer que alfabetizar é um processo encantador e maravilhoso”
 
Para a vida - “Tenho dois alunos médicos, e mantemos contato graças às redes sociais. Uma aluna está morando em Portugal, outros estão formados… É sempre um carinho grande que recebo de todos. Até hoje eles têm esse reconhecimento de eu ser a professora que os ensinei a ler e escrever”
 
Reinventando-se - “Há 25 anos, quando comecei, eu alfabetizava de um jeito tradicional. Ou seja: alfabetizava da mesma forma que eu fui alfabetizada. Hoje trabalho de uma maneira completamente diferente, porque vivemos uma realidade de recursos tecnológicos a nosso favor. Tudo está muito melhor. Não tem como trabalhar do mesmo jeito por 25 anos. A cada dia precisamos nos atualizar, como em qualquer profissão”.
 
Comparando - "Logo que me formei, lembro que recebíamos crianças no pré e no primeiro ano achando que não sabiam nada. Hoje, tenho a visão de que uma criança chega ao primeiro ano sabendo muita coisa, com uma vivência grande do mundo letrado, com uma bagagem de conhecimento. A criança já convive desde cedo com o meio alfabetizador desde muito pequena e já é um ser pensante e que tem as suas capacidades. Na fase escolar, a partir dos 5 anos, precisamos mediar para que eles avancem, apropriando-se cada vez mais da leitura e da escrita”.  
 
Proalfa - “A partir deste ano passamos a contar com o material do Proalfa SV. É um material maravilhoso, enriquecedor, e veio numa quantidade muito boa para a sala de aula, suficiente para atender todos os alunos. A criança na fase de alfabetização não tem o poder de abstração, então precisa desses materiais concretos para que a aprendizagem aconteça”.
 
Unesco - O Dia Mundial da Alfabetização foi instituído em 1967 pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), órgão ligado à Organização das Nações Unidas (ONU). A comemoração serve para ressaltar a importância da alfabetização para o desenvolvimento social e econômico no âmbito mundial.

Por Renato Pirauá

Atalhos da página

Rede Corporativa e-Solution Backsite