Rede Corporativa
Santos - São Paulo - Brasil, 15 de junho de 2024.
11/11/2022
NOTÍCIAS
Projeto de reciclagem de óleo vira conteúdo audiovisual em escola da Vila Margarida
Alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental Lúcio Martins (Vila Margarida) viraram protagonistas em conteúdo audiovisual que, em breve, vai circular nas redes sociais. Na tarde de quarta-feira (09), uma produtora foi à unidade para gravar depoimentos de professores, gestores e estudantes envolvidos na ação de sustentabilidade promovida na rede municipal de São Vicente.
 
A parceria entre a Prefeitura, por meio da Secretaria de Educação (Seduc), o Programa Meio Ambiente nas Escolas (Pmane) e a multinacional Bunge Limited está rendendo grandes resultados na coleta de óleo de cozinha vegetal com envolvimento de alunos. A iniciativa visa a mudança de hábitos e de mentalidade voltada a um meio ambiente mais equilibrado. “A Seduc buscou essa parceria no intuito de transformar o material recolhido em biocombustível. É de grande valia a questão da educação ambiental, porque cada litro de óleo polui 25 mil litros de água”, conta a assessora ambiental do Núcleo de Educação Ambiental da Seduc, Eliana Isidoro.
 
A professora de ciências da EMEF, Camila de Lacerda, deu o seu depoimento na gravação, contando que os alunos se envolveram de imediato. “Criamos o ‘cantinho do óleo’ e o pessoal do grêmio ajudou a coordenar esse trabalho”. Além disso, a entrega de adesivos dos ‘Óleons’ (personagens-símbolos da campanha) contribuiu para incentivar ainda mais a adesão. “Falar de educação ambiental na escola ajuda a formar um cidadão consciente”, concluiu. 
 
Diretora da unidade, Maria Inez Chaves destaca que foram mais de 200 litros arrecadados desde o início da campanha. “Sou uma recicladora também em casa. Vejo como fundamental o reaproveitamento, sempre que possível, de tudo o que usamos. O olhar pedagógico também deve ser desse jeito. Se não reciclarmos, o que vamos deixar para o nosso mundo?”, questiona a diretora, lembrando que essa prática educativa deve se perpetuar na vida daqueles que hoje são alunos.
 
Educadora do Pmane, a engenheira ambiental Lais Bussmeyer destaca que em São Vicente já são 54 escolas participantes e menciona o envolvimento de diversas frentes para viabilizar o trabalho. “A ação chegou na Cidade graças ao apoio da Bunge, por meio do projeto Soya Recicla, com participação do Instituto Auá de Empreendedorismo Socioambiental, além da Preserva - Reciclagem de Óleo Vegetal, que faz a coleta nas escolas”.
 
Mascote - A participação dos estudantes foi tamanha que até uma mascote foi criada pelo professor Carlos Ricardo Araújo, de arte. Trata-se de uma simpática tartaruga batizada de Guita, nome escolhido por meio de concurso. “As crianças gostaram muito da mascote que criei e aprenderam a técnica de trabalhar com papel marchê”. Também foi distribuída uma revista em quadrinhos alertando sobre a necessidade de preservação do meio ambiente, em busca de uma qualidade de vida melhor para todos.
 
ODS - A iniciativa de coleta de óleo está relacionada ao Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 12 (ODS), previsto na Agenda 2030, acordo internacional firmado pelos estados-membros da ONU. Entre as metas, estão implementar o Plano Decenal de Programas sobre Produção e Consumo Sustentáveis; alcançar a gestão sustentável e o uso eficiente dos recursos naturais; reduzir pela metade o desperdício de alimentos per capita mundial; reduzir substancialmente a geração de resíduos por meio da prevenção, redução, reciclagem e reuso; e incentivar as empresas a adotar práticas sustentáveis e a integrar informações de sustentabilidade em seu ciclo de relatórios.
 
O Programa também está integrado à Gincana Sustentável, ação que envolve todas as escolas municipais de São Vicente, numa competição saudável que visa  investir numa mudança de hábitos e de mentalidade voltada a um meio ambiente mais equilibrado.
 
Pmane -  O Programa Meio Ambiente nas Escolas (Pmane) é uma iniciativa de educação ambiental que integra organizações civis, setor público e privado para um novo modelo de gestão de resíduos sólidos. Nele, o descarte correto do óleo de cozinha usado é uma ferramenta de conscientização ambiental dentro das escolas, onde os processos educativos acontecem mais fortemente: 
 
- Os educadores ampliam a discussão para outros temas como sustentabilidade, descarte correto de resíduos, saneamento básico, água e cidadania.
- Os alunos tornam-se agentes de mobilização de sua comunidade, influenciando as famílias para a reciclagem e meio ambiente.
Para tanto, incentiva-se atividades socioambientais e culturais nas escolas, oferece-se capacitação para professores e gestores das unidades envolvidas, e disponibiliza-se conteúdos variados de educação ambiental, além de materiais de comunicação para facilitar o contato com a comunidade escolar.
 
O Programa contribui para o atendimento da Política Nacional de Educação Ambiental (Lei N° 9.795/99), em conformidade com as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental – DCNEA e alinhado com a Base Nacional Comum Curricular – BNCC, na qual consta que a educação ambiental seja abordada de forma transversal e integradora.
 
Além disso, atende à Lei Federal 12.305/2010, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) e criou a Logística Reversa (LR), que consiste na instalação e administração de Pontos de Entrega Voluntária (PEV’s) de resíduos como pilhas e baterias, eletroeletrônicos, remédios, pneus, lâmpadas e óleo de cozinha, entre outros.
 
A Renda do Óleo Coletado se reverte para a Associação de Pais e Mestres e este recurso contribui com a realização de Atividades de Educação Ambiental a partir de projetos desenvolvidos de forma participativa, entre escolas e educadores do Programa.
 

Atalhos da página

Rede Corporativa e-Solution Backsite