Rede Corporativa
Santos - São Paulo - Brasil, 16 de junho de 2024.
15/02/2023
NOTÍCIAS
Lançamento do Movimento Leia São Vicente de 2023 é marcado com entrega de livros paradidáticos e dicionários
Com palestra do autor e jornalista Cláudio Fragata, a cerimônia de abertura da 6ª edição do “Movimento Leia São Vicente" aconteceu na manhã desta quarta-feira (15), no Ilha Porchat Clube, e foi marcada pelo lançamento do projeto Ler & Reler, com a entrega de maletas literárias repletas de livros paradidáticos e dicionários de língua inglesa para os alunos do 6° ao 9° ano, além de dicionários de língua portuguesa para os alunos a partir do 3° ano do Ensino Fundamental.
 
“Um evento como esse é de fundamental importância. Eu gostaria que servisse de inspiração para outras cidades. O Brasil não tem futuro sem leitura. A fila andou muito, hoje temos um nível de escritores e ilustradores nacionais, muito competentes”,  comentou Cláudio Fragata.
 
O prefeito Kayo Amado aproveitou a oportunidade para parabenizar os trabalhos realizados pelos professores dentro de sala de aula. “É muito especial ver uma iniciativa como o Movimento Leia São Vicente se transformar em uma política pública da Cidade. Que a gente consiga fazer cada vez mais ações assim, fortalecendo e evoluindo a Educação das nossas crianças”.
 
O evento também contou com a presença de professores e gestores da rede municipal, além da vice-prefeita Sandra Conti e da secretária de Educação, Nivea Marsili. 
 
“Tenho certeza de que o trabalho a ser feito com essas maletinhas vai muito além do que a gente imaginou”, ressaltou a secretária.
 
Pela primeira vez, escolas estaduais e particulares também foram convidadas a participar, registrando os momentos de leitura na redes sociais com a hashtag #movimentoleiasv.
 
"O Movimento é muito bom para os alunos mesmo durante a pandemia. Nós pedimos para que eles tirassem fotos e gravassem vídeos lendo junto com a família. Os pais abraçaram a ideia e deu muito certo. Esse ano, presencialmente, a meta é fazer com que seja ainda melhor”, destacou a professora de português, Eliane Reis.

 
Livros paradidáticos
 
As obras que acompanham a maleta vêm de acordo com o ciclo escolar de cada estudante.
 
“A conquista de um sonho” (Regina Drummond), “Poesia de Guarda-chuva” (Milton C. O. Filho), “Fábulas da Terra - O chamado dos bisões” (Paola Giometti) e “Ao sol do novo mundo” (Edy Lima), para o 6° ano; “Ana Bola e outras histórias corajosas” (Eliana Martins), “Fábulas da Terra - O destino do lobo” (Paola Giometti) e “Zé Perri - A passagem do Pequeno Príncipe pelo Brasil” (Cláudio Fragata), para o 7° ano; “Seis tombos e um pulinho - As aventuras de Santos Dumont até inventar o 14 Bis” (Cláudio Fragata), “Laura levou o vento” (Flávia Savary), “Fábulas da Terra - O código das águias” (Paola Giometti) e “Autorretrato” (Renata Bueno), para o 8° ano; e “A estranha atração dos planetas vizinhos” (Cláudio Fragata), “Symbiosa e a ameaça no Ártico” (Paola Giometti), “Noite ao amanhecer” (Paola Giometti) e “Três mudanças” (Flávia Savary), para o 9° ano.

 
Leitura no Brasil
 
A última edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, divulgada em abril do ano passado, revelou que 31% dos brasileiros nunca compraram um livro e quase metade da população não tem o hábito de ler. 
 
Segundo o levantamento realizado pelo IPL (Instituto Pró-Livro) em parceria com a Abrelivros, a Câmara Brasileira de Livros e o Snel (Sindicato Nacional dos Editores de Livros), a faixa etária dos 5 aos 10 anos de idade é o perfil com maior frequência de consumo de livros de literatura, independentemente do suporte. 
 
Essas crianças representam 23% da população, e costumam ler diariamente ou quase todos os dias por vontade própria. O gosto pela leitura é a principal motivação de 48% dos pequenos; outros 13% afirmaram que leem para aprender algo novo ou desenvolver alguma habilidade. 
 
Por isso, estimular as crianças a manterem ou criarem o hábito da leitura é extremamente importante a fim de que no futuro esse interesse continue, mesmo com o aumento das distrações na área digital.
 
 
Impacto do Movimento 
 
O “Movimento Leia São Vicente” acontece desde 2018 e foi premiado, no mesmo ano, pelo PROLER - Programa Nacional de Incentivo à Leitura, na categoria Secretaria de Educação.
 
“Nem mesmo a pandemia impediu que o movimento continuasse impactando a vida das crianças e suas famílias. Pelo contrário, resgatou não somente a leitura, como também a união dos pais para com seus filhos e professores, combatendo a distância”, destacou a secretária Nivea Marsili.
 
Texto - Maurício Massaro
Fotos - Léo Huber

Atalhos da página

Rede Corporativa e-Solution Backsite