Rede Corporativa
Santos - São Paulo - Brasil, 30 de maio de 2024.
22/03/2024
NOTÍCIAS
Crianças de escola em tempo integral soltam a voz em podcast

 

O projeto ‘Comunicast - a nossa escola está on’ já é um sucesso na AMEI Parque São Vicente ‘Maria de Lourdes Batista’. Lançada no início do ano, a ação envolve 450 alunos de 1º a 5º ano, que aprendem desde se comunicar em um microfone a definir pautas, manusear câmeras, editar vídeos e até entender como um drone pode ajudar na produção.

Na quarta-feira (20), profissionais do setor audiovisual da Secretaria de Imprensa e Comunicação (Seicom), da Prefeitura de São Vicente, passaram uma tarde no estúdio da unidade para ensinar técnicas que ajudarão na qualidade dos vídeos.

 

“Apresentamos a eles um editor de vídeo gratuito e fácil de manusear. É um primeiro passo e, querendo se aprimorar no futuro, conseguem encontrar tutoriais na internet”, conta Davi Lopes, da Seicom. Entre as dicas dadas, está a posição do celular na hora de filmar. “Se for para o Instagram, a imagem fica na vertical, ‘em pé’; para o Youtube, precisa ser na horizontal, ou seja, ‘deitado’”, demonstrou Davi às crianças. 

 

Fred Maia destacou que hoje as pessoas estão conectadas o tempo todo aos celulares, mas ficam imersas em jogos ou vídeos que não despertam a criatividade. “Aprender o que é uma edição pode trazer, de repente, uma oportunidade de profissão, como aconteceu para nós. Começamos meio que brincando, estudamos e hoje trabalhamos com isso”.
 

Dessa forma, o celular se torna uma ferramenta aliada, conforme explica Davi. “Este é o primeiro olhar através de uma câmera. É a partir de um momento assim que se desperta o interesse de, quem sabe, fazer uma faculdade de cinema, publicidade ou jornalismo”.

 

Outro ponto destacado por Fred é a possibilidade de perspectiva oferecida. “Eu vim de escola pública, estudei no Gilson Kool Monteiro (Vila Nova São Vicente), e na minha época não tinha nem bola para brincar no pátio. Quando a gente depara com estúdio, notebook e professores para orientar, é algo que vai fazer a diferença na vida dessas crianças”, ressaltou Fred. 

 

“Eu estudei aqui mesmo, na UE Maria de Lourdes. Não existia nem quadra. Dá muito orgulho ver a escola bonita, bem estruturada, com quadro docente completo. É  muito bom ver essa evolução e a vontade dos alunos em aprenderem”.

 

Rebeca Santana, de 10 anos, conta que adorou a aula. “Tem muita coisa legal para aprender. Gosto muito do podcast. Não sabia cortar os vídeos, parecia difícil. Mas agora que aprendi, ficou fácil”.

 

Quadros - Entre os temas tratados no podcast, estão entrevistas, dicas e reportagens. Um dos quadros é o ‘Estamos de olho’.  “A intenção é colocar assuntos para uma tomada de consciência”, conta a professora Valéria Regina Correia, responsável pela oficina que contempla o eixo expressões artísticas. “Queremos que  eles observem o entorno da escola e verifiquem as condições de lixo depositado de forma errada, entrevistando moradores e tirando fotos para mudar essa realidade. Isso é protagonismo: ver as necessidades do bairro para melhorar a qualidade de vida da comunidade”, detalhou a docente, lembrando que todos participam do projeto, do 1º ao 5º ano. Os menores fazem as chamadas, os maiores vão para a mesa, preparam roteiros e, agora, editam as produções. “Já temos o jornal, o blog e em breve a rádio será implementada. Vamos montar um sistema de comunicação completo e trazer o jornalismo para dentro da escola”.

 

Drone - A identificação das áreas atingidas pelo descarte irregular também é feita com a ajuda da tecnologia. Engenheiro da prefeitura, Victor Cândido Gabriel, 32 anos, mostrou aos alunos como funciona um drone, e de que maneira o equipamento pode ser utilizado para obter imagens aéreas dos pontos onde há lixo. “Dá para chegar ao local com segurança, sem ter que se deslocar da escola”, conta Victor, que deu dicas sobre decolagem com segurança, uso de GPS e plano de voo. “Eles aprenderam que não se trata de um brinquedo e que existe responsabilidade para pilotar”, explicou o engenheiro.

 

Eu posso - Outra produção confirmada no podcast é o quadro “Eu posso”, com convidados que estudaram em escolas públicas e são hoje bem sucedidos profissionalmente. “Queremos mostrar aos alunos que eles também podem ter sucesso na área que desejarem seguir”, incentiva a professora Valéria.


Por - Renato Pirauá

 

Atalhos da página

Rede Corporativa e-Solution Backsite